terça-feira, 25 de setembro de 2012

Injustiças do movimento de orgulho gay

No artigo anterior eu falei a posição de Deus com relação a homossexualidade.
Agora, quanto a mim: não quero o mal de nenhum homossexual (pelo contrario), mas não concordo com as praticas.
Tenho visto muitas injustiças com o movimento de orgulho gay, por isso vou passar aqui algumas imagens que fiz criticando:









quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Deus rejeita homossexuais... Que não se arrependerem

Fato. Não posso negar isto, com base na bíblia. E mostrarei porque.

Depende do termo rejeitar. No sentido de não se dispor a salvar COM BASE EM ARREPENDIMENTO, Deus ordenou que o evangelho fosse pregado a toda criatura. Não rejeita ninguém. Mas em termos de aceita-los assim mesmo...

Ouve-se muito de que Deus ama os pecadores, e odeia o pecado. Isso é verdadeiro no sentido de que Deus ama os pecadores a ponto de lhes ter feito até um sacrificio pela salvação deles, e de ter enviado os pregadores, porém não é verdadeiro no sentido de que ele gosta dos pecadores sendo como são. Ao contrario, abomina-os quando praticam o mal.
No caso da homossexualidade, ela é considerada um pecado, e como tal os praticantes tem garantido o amor divino só até este ponto dito.


Deus rejeita A PRATICA E QUEM PRATICA até o lago de fogo, se não se arrependerem dos seus pecados.


A homossexualidade é considerada uma abominação (velho testamento)
Jesus disse que no principio era um homem e uma mulher e que não era para o homem separar isso (autoridade máxima do cristianismo)
nas cartas, a homossexualidade é considerada um desvio da natureza

Em apocalipse 22.15
15 Fora ficam os cães, os que praticam feitiçaria, os que cometem imoralidades sexuais, os assassinos, os idólatras e todos os que amam e praticam a mentira.


Imoralidade sexual incluia, até aquele momento presente, a homossexualidade. (tb já ouvi que cão era um termo ligado a homossexual ou prostituto, não estou bem certo, porém).

Não há nenhuma base séria para crer que Deus aprova homossexuais agora, que eu saiba.
Inclusive, costumam falar que jesus perdoou a adultera, mas ele disse para ela não pecar mais, não mudando a classificação dela como pecadora.

Deus mandou AMAR nossos inimigos, orar, fazer o bem, dar a outra face, etc, então NÓS temos de ser bons para todos e querer o bem de todos. Mas por palavras na boca de Deus... Ai é injusto. Até aonde se sabe, pela bíblia, Ele considera uma abominação.

Diga-se de passagem, fora da biblia, há "n" razões para se criticar a homossexualidade e muitas outras falacias que são pregadas pelos ativistas a favor da homossexualidade como que é genético e não pode mudar (tem até irmãos gemeos identicos que um é e outro não).


É preciso que a verdade seja declarada com justiça. Na nossa sociedade, com a homossexualidade forçadamente ensinada como algo saudavel, a critica é muito mal vista. Devemos lembrar que cristão nem não cristão tem o direito de agredir sequer o pior assassino ou violentador, etc. Porém, Deus, soberano, ameaça todos os pecadores, até os mentirosos, de até mesmo lago de fogo.
Não devemos misturar a nossa autoridade com a Dele, nem o nosso papel. O NOSSO é de orar pelas pessoas, fazer o bem, ajudar, tratar os outros com respeito e amor, até aos inimigos (quanto mais aos pecadores em geral).

Mas não temos o direito de dizer que Deus ama o homossexual como está ou que não os ameaça.
Deus é alguém que ameaça PUNIR os homossexuais, fazê-los SOFRER TERRIVELMENTE, como um punidor, o justiceiro e ditador teocrata que é, ameaça os pecadores até mesmo os que parecem-nos indignos de tão severa punição, como mentirosos.

Não devemos tapar o sol com a peneira.

Desprendido disso tudo, sou contra a homossexualidade, e a critico. Desprendido disso tudo, também, não quero que um homossexual vá para o inferno, preferia até conviver com ele para sempre nesse estado do que que ele sofresse. Mas não ouso pôr minhas palavras na boca de Deus, antes, só clamarei a Deus por misericórdia, e buscarei continuar fazendo o bem e esclarecendo a questão.


-  -

Muitos outros artigos virão criticando a homossexualidade, ativismo gays, dentre outros. Porém fica aqui neste artigo a clara explicação, espero eu, de que: Deus abomina a homossexualidade e que se os homossexuais não se arrependerem, JÁ ESTÃO ameaçados até de lago de fogo. Cumpro meu dever como mensageiro, e declaro o meu lamento e compaixão, porém, e que não estou nada feliz com a situação, antes preocupado com o bem estar deles (e nem por isso os aprovo).

Muito contra, mas não os quero sofrendo. Recado esteja dado, e peço que vejam a diferença entre o meu pensamento e modo de agir do de Deus, e não me acusem de simplesmente odiar homossexuais porque a biblia assim o ensina (ensina a considera-los criminosos, mas também nas ultimas paginas, a amar os inimigos).

Considerem-me apenas sincero.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Criacionismo - Aulas 1 e 2

Já fiz um artigo com um pequeno livro eletronico, meu primeiro, que é sobre o tema da criação.
Resumo que o livro é um clamor aos cristãos.

Aqui, deixarei 2 aulas (em slides, sem comentário) sobre criacionismo.

artigo sobre o livro eletrônico (e-book)

Aulas em Slides:

Criacionismo - Aula 1

Criacionismo - Aula 2

Recomendo que vejam.

E embora estes 2 artigos a seguir falem de pontos abordados na aula 2, deixo-os:

A criação bíblica contradiz a evolução - Veja porque

A criação bíblia contradiz o big bang - Veja porque

sábado, 15 de setembro de 2012

Teologia: Uma ciência

Você confia no conhecimento dos cientistas, para crer que Deus não deve existir, pois falta evidencias?
Pois não deveria. Isto porque a comunidade cientifica despreza a possibilidade de Deus como um campo de estudo, deixando-o como objeto de crença pessoal, desprezado pelos estudos sérios e de permissão de posicionamento livre.


Quero demonstrar hoje, que a Teologia pode ser, porém, uma ciência parecida com outras como fisica, quimica, astronomia, e especialmente biologia.


Teo = Deus
Logia = Estudo

Teologia é o estudo de Deus. O termo não significa "estudo de religião" nem "estudo de um sistema de crenças religioso" como estudo das doutrinas cristãs, embora muitas vezes acabe o sendo.


com "Deus" podemos querer dizer desde o Deus abraãmico, o Deus de Abrão, que é o Deus, basicamente, dos judeus, islâmicos, cristãos e até mesmo dos espíritas, ou outros candidatos como Zeus, Poseidon, etc.

Estes seres enquadram-se numa lista de seres de existência não provada nem refutada pela ciência. Encaixam-se num grande grupo de estudos de seres de existência improvada, como ETs, e outras figuras de folclore, e de crença popular, embora desprezados.


Na area da teologia cristã também há teorias sobre o que acontece depois da morte, previsões do futuro, ética, estudo do homem, origens do mundo, humanidade, seres vivos... Teorias da história de israel e dos povos vizinhos narrados na biblia... Enfim, há muitas áreas que são campo de estudo dos cientistas, embora as teorias religiosas são desprezadas como sendo... religiosas.

Devemos lembrar que a crença de que devemos amar o próximo como a si mesmo, é uma crença religiosa, e ainda assim muito popular, e que pode ser um bom principio para a sociologia também.

A teologia cristã classifica algumas praticas sexuais como pecados, e perversões da natureza, e portanto tem influência no campo de estudo da sexualidade. Tem muitos campos de atuação.


Tá, uma porção de teorias, mas que isso tem de cientifico?
Acontece que os ensinos religiosos frequentemente são ensinados por tradição, apelando para a confiança da pessoa na doutrina, incentivando a confiança na mesma, alegando que são revelações de Deus, e portanto não há erro. Um método cientifico, muito mais critico, acabou por desprezar as crenças até para as considerar a sério, só por serem ensinadas por esses grupos, cheios de mecanismos de ensino falaciosos.
Um erro, porém. A verdade de cada crença independe de se o método de ensino de fato é eficiente em prova-lo.

Chega a ser ridiculo, com 90% de cristãos na nossa sociedade, a comunidade cientifica não se por a analisar com seriedade a possibilidade de existência de Deus, e em particular (mas não somente) se o sistema de crenças cristão está correto.

O que seria justo?
Não importa se a crença é de origem religiosa ou não, e se há muitas evidencias a favor ou não de que estas crenças estão certas. Não importa se no meio religioso, crenças são ensinadas como fato obvio, apesar da insuficiencia aparente de evidencias.

O que importa é: a verdade, que deve ser buscada. Deus existe ou não? Este, este, este pensamento, de origem religiosa, pode ser verdadeiro? Pode estar certo?

É preconceituoso banir um pensamento religioso de ser considerado uma hipótese.


Permitam-me ilustrar:


Há muitos anos já havia a crença de lulas gigantes. Uma lendaria criatura, que aos olhos de alguns, poderia até destruir navios inteiros. Criaturas muito assustadores, monstros marinhos.

Apesar de ser uma história de marinho, e até mesmo literalmente, uma história de pescador, os mitos se provaram verdadeiros em muitos níveis. Existem lulas gigantes, muitas já foram encontradas, e são criaturas fascinantes que hoje impressionam a ciência. Embora algumas visões de histórias pareçam exagerar ainda um pouco, as lulas gigantes encontradas podem ser realmente enormes, maiores que um ser humano.

Mas imaginemos que você fosse um cientista como os nossos, na época. Você ouve uma história de marinheiros, que viram uma lula gigante. Eles não trouxeram provas concretas.
Você os tem por loucos, mas muitos creem neles.

Você diz que eles não estão provando, mas não importa, as pessoas lhes dão ouvidos.
Eles influenciam as pessoas com pensamentos como "confie em mim! Eu sei, eu vi!" ou "aquela pessoa é honesta, e disse que viu". Você pode ficar irado, muito irado, zombar, escarnecer, e separar essa "teoria" das suas, baseadas na observação e analise critica. Mas você nada faz que de fato prove.

Você pode alegar que nunca viu, que é deles o ônus da prova. De que adianta? Nada.
Você pode vir com pensamentos de que as lulas não poderiam ter determinados tamanhos, com base no seu estudo de teologia, e até fazer conjecturas sobre a sanidade deles, e sobre vultos que eles poderiam ver no mar.

Fato é que seria muito dificil para você provar que lulas gigantes não existem, mesmo que isso fosse verdade.
Mas isso não muda a importancia da questão.

Se no final das contas você os incentivasse ao desprezo dessa "loucura de pescador", você estaria enganado. Se lhes dissesse para ficar com o conhecimento que seus métodos revelam, e se lhes lembrassem de outras figuras estranhas como Saci, e outros, tentando ridiculariza-los, você estaria trabalhando contra a verdade.

Dificil para você provar que não é verdade, mesmo assim você deveria lutar por fazê-lo, ao mesmo tempo que permitindo um debate justo. Talvez fosse necessário partir na jornada praticamente impossivel aos seus olhos de mapear todos os mares. E você não deveria deixar de considerar a hipótese de existência, mesmo vindo da boca de pescadores, que você crê viverem inventando histórias.

No fundo, se você os impedisse de criar teorias, conjecturas, e falar o que pensam, de expor suas novas idéias sobre como lulas talvez afetem ecossistemas, sobre seus mecanismos de reprodução, alimentação, habitat, tudo isso lhe parecendo uma tremenda viagem, você estaria ainda assim atrapalhando a busca pela verdade.


O mesmo acontece com a possibilidade da existência de Deus.

A questão da existência de algum tipo de Deus real no mundo real, na REALIDADE, por mais dificil que seja de resolver, e por mais que pareça vir com um método falacioso, pode ser verdade, e é campo da ciência.

Porque? Porque é dever dela saber a realidade.
Devemos lembrar que o Deus bíblico, por exemplo, é descrito como um ser que existe mesmo sem a fé dos humanos, inclusive tendo criado o primeiro humano. Portanto, trata-se de uma questão não de "fé" somente, mas uma questão da realidade, e dever da ciência saber a verdade da questão.

Muito dificil é provar que uma mentira de fato não tem fundamento, sim, mas você é o cientista, você não pode excluir uma hipótese por ser dificil nega-la!

Se alguém dissesse muito tempo atrás, como explicação das doenças "tem uns seres muito pequenininhos que nem podemos ver, e eles nos deixam doentes", mesmo sendo verdade que bactérias e virus causem doenças, antes do microscópio, isso não seria facilmente verificavel. EDAI? Seria necessário considerar a crença não como fato inegavel, mas como hipótese, e analisa-la! E buscar criar os inventos necessários para essa pesquisa, ainda que na idade média, por exemplo, isso parecesse algo impossivel.

Portanto, a questão da existência de Deus (e de outros seres chamados sobrenaturais ou mitológicos ou fantasticos, ou de folclore, etc) precisa ser avaliada com seriedade SIM.

Não é preciso ter provas para formular uma hipotese.

EIS! Há a hipótese de que Deus existe.

E agora? Eis a falacia eternamente nunca vencida?

Não, basta criar a hipótese contraria:

A hipótese de que Deus não existe.

A Teoria do Teísmo e a do Ateísmo.

Ambas são teorias, ambas são posições teológicas VALIDAS, e ambas são hipóteses para a realidade.
Posições validas no campo cientifico.

A biblia fere o método cientifico? Não mais do que qualquer livro histórico. O método de pregação é que é diferente, ensinando como fato, embora pouco se preocupando com a prova.

A hipótese de que cada uma das afirmações biblicas seja verdadeira, ou falsa, com base no fato observavel de que há quem creia e ensine isso, e há utilidade obvia para a sociedade em saber de sua veracidade, tornam-se hipóteses validas para serem avaliadas, inclusive usando o método cientifico.


O nome do meu blog é "cientista de Deus". Verdade, ainda sou um tanto leigo sobre o método cientifico (ainda que esteja aprendendo), mas se estudo TEOLOGIA, tendo Deus como campo de estudo, sendo a existência de Deus uma questão da REALIDADE, de fato sou um cientista em certo sentido. E mesmo ateus podem o ser, com a hipótese de ateísmo, e grandes teólogos, melhorando o mundo com sua analise critica.

De modo que, o rigor cientifico muito bem se aplicará a melhoria da teologia.
Se a Teologia cientifica, no fim, estudar Deus até provar que Ele não existe... Não deixará de ser fruto do ESTUDO DE DEUS. E não deixará de ser um ciência. E pelo amor de Deus! Que ciência útil aos olhos de toda a sociedade!

O apateísmo (desprezo ao teismo, crença em Deus) cientifico é a mãe da ignorância da humanidade sobre essa questão.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Provas de Deus - Profecia - A manifestação a prova de esquizofrenia

Cristãos que dizem que sabem que Deus existe são convidados a provar.
Dificil é, visto que tem experiencias pessoais que provaram a eles, mas que normalmente não podem reproduzir a outro.

Quando se fala a um ateu que Deus falou consigo, este costuma duvidar, e acusar de esquizofrenia, de ter imaginação fértil, de ser iludido, de se deixar influenciar por sensações inexatadas e sentimentalismo.

Verdade é que, aparentemente, boa parte das supostas manifestações de Deus não é necessáriamente clara, e pouco passa de uma sensação ou de uma suposta resposta de oração que pode muito bem ser coincidencia.

Mas se alguém me perguntasse porque creio, acho que a principal razão seria: porque Deus ja falou comigo por profecia coisas que só eu deveria saber.

A profecia anula a possibilidade de esquizofrenia, visto que a fala não vem da sua própria mente, mas sim de outra pessoa que entrega a profecia.

Dificil é as vezes provar que tais profecias ocorreram.

Sei e testifico que não é porque alguém supostamente profetiza, que o espírito é de Deus. O mesmo vale para médiuns, e outros grupos que tem manifestações, as quais convencem a muitos.


A teoria cristã, porém, suporta e se aproveita de toda manifestação que possa ser real em outros meios religiosos. A teoria cristã faz uso delas, isto é: há uma crença de que espíritos mentirosos enganam os outros, se passando por toda sorte de entidade (orixás, idolos, mortos, animais, ou qualquer outro) e sustentando sinais e prodigios, adivinhações, que viabilizam a crença de sistemas concorrentes.


Portanto, saiba, o ateu ou critico que ouvir, que de todas as religiões, a cristã é que tem melhor explicação (que conheço, e aguardo que outros deem as suas alternativas, a partir de suas crenças) para o fato de que fenomenos como de pessoas ficarem possuidas, ou cheias de algum tipo de espirito, profetizarem, e toda sorte de sinais, alegarem tais coisa.

Nós temos, até aonde eu sei, a melhor resposta para estas manifestações. De modo que a fala "e não tem os espíritas, manifestações, não tem uma porção de religiões isso também? Porque vou crer justo na sua" seria melhor dirigida aos outros grupos, que aparentemente não sabem explicar pq Deus, que proibe comunicação com os mortos, idolatria, dentre outros, supostamente se manifesta conosco.

Busco e buscarei aumentar a coleção de supostas profecias deste blog.
Não digo que todas são verdadeiras, nem que, se sendo de fato vindas de um agente espiritual, são de fato de Deus e não de um espírito mentiroso.

É necessário analisar com cuidado, concordo. Mas saibam que, com base nas profecias, tenho razões para acreditar na existência de agentes espirituais, e pelo carater e sabedoria manifesta pelo espírito dos profetas, tenho minhas razões para crer que é o Deus biblico.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Estudo do Espírito 2- Atualizações



Esse é o mapa atualizado, do usado no primeiro vídeo sobre o tema
Você pode ver o artigo aqui.
http://cientistadedeus.blogspot.com.br/2012/04/estudo-do-espirito-santo.html

Espero fazer novo vídeo sobre o tema. Busquei aperfeiçoar o mapa, complementando-o.

Acho que ficou MUITO bom, BEM racional, e BEM espiritual.

Não é sobre isso o artigo, mas gostaria de comentar que os frutos (ou o fruto) do espírito santo estão ligados a coisas do lado superior, e as chamadas obras infrutuosas da carne (embora eu preferiria que fosse nomeado "do espírito-anti-divino" do que carne, pois considero o termo inexato) estão associados a coisas debaixo.

Também, pincelo sobre o que mais tarde tratarei, acho que estou entendendo melhor a idéia de que o ser humano tem corpo, alma e espírito. A alma, seria o individuo espíritual, a mente. O espírito, o conteúdo da mente. O corpo, bom, o corpo.

Isso faz sentido com frases como de que a palavra de Deus meche na divisão da alma e do espírito.
O mapa que estou desenvolvendo mostra não "Deus" e os "anjos", mesmo os maus, aparentemente. Mas mostra o espírito, as essências desses agentes espirituais (também chamados de espíritos).

Como em apocalipse, do qual é falado de uma cidade que espiritualmente é chamada "Egito e Sodoma", não se referindo a uma reencarnação, mas a uma "essência"...

Entendeu o espírito da coisa? Bom, basicamente, se você acha que espírito é sempre o agente espiritual (como um fantasma) você não está entendendo o sentido da palavra espirito. Deixo uma ultima imagem, que talvez ajude a compreender a diferença:





Para quem não entendeu, este personagem se chama coisa, mas a expressão "pegar o espírito da coisa" se refere a pegar a IDÉIA, ESSÊNCIA, CARACTERISTICA, O SENTIDO, O CONCEITO, enquano na figura se trata de um espírito como fantasma.

É o estudo dessas essencias, as essencias da bondade e maldade, associadas, por exemplo, as boas a Deus, e as más aos demônios (ainda que não sejam a maldade em si, sendo malignos, e também Deus que não é somente bondade, sendo criador, dominador e permitidor do mau) o estudo que coloquei no meu vídeo.

Recomendo MESMO que você, visitante, se não viu veja. E que pergunte e critique a vontade. É talvez a obra mais profunda e bem feita que já fiz até então, sendo que a base me foi dada no meu batismo com o espírito santo, sendo grande parte da razão pela qual você está no blog "cientista de Deus" e não de algum outro nome. É basicamente a ciência do bem e do mal, a ética, o fruto antes proibido, depois o presente de salomão, que vos ofereço. Estou confiante que lhes acrescentará muito. Por favor, vejam e comentem.

Teologia da Anti-prosperidade


Você conhece a chamada teologia da prosperidade?
Um conjunto de crenças ligados ao relacionamento do reino de Deus e das finanças, com filosofias como:
- Deus quer que você prospere
- Invista no reino de Deus
- Riqueza é sinal de benção
- Semeie, e você irá colher
- Dizimo é benção, desobedecer isso trás maldição

Dentre outros?

Bom, eu conheço, e muita gente conhece, ao menos um pouco.
Agora, o que talvez as pessoas não tenham percebido é que há uma resposta a essa doutrina totalmente oposta, a teologia da anti-prosperidade.

Dentre as crenças envolvidas temos:

- Crente não deve querer ser rico.
- Dinheiro é mau.
- Os pastores não devem receber dinheiro da igreja.
- Os pregadores estão ficando ricos aos custos do dinheiro do povo
- Não é para dar dizimo,
- Igreja  é um centro de lavagem de dinheiro

dentre outros.

Não sei qual posição você tem. Acho que é uma questão complexa, e que crença por crença, elas devem ser avaliadas com justiça e calma. Mas estou muito mais para a teologia da prosperidade do que para a oposição.

Conheço a biblia e resumo que:
- A biblia passa a idéia de que o dinheiro é perigoso, que devemos tomar cuidado com a ganancia, que o dinheiro é inferior ao reino de Deus, que devemos é buscar o reino de Deus
- Deus pede ofertas e dizimos. Recebia ouro, bronze, e coisas finas para o seu tabernaculo e para o seu templo. Seus sacerdotes (que tipificam os pastores atualmente) vestiam-se com roupas finas, sendo que o sumo-sacerdote até tinha pedras preciosas no peitoral. Deus usa benção financeiras como recompensas para o seu povo, e há base para crer que Deus honrará os que investirem no reino Dele para Ele.

Em resumo, bem sucinto, sem fazer a apologética (espero fazer mais tarde), digo que a biblia trata o dinheiro e seu sistema como algo potencialmente ruim, e danoso, mas ainda assim o tolera a certo ponto, e faz uso do mesmo, e trás sim promessas de prosperidade para o povo obediente, além de achar aceitavel os líderes religiosos ricos.

Se o próprio Deus oferece recompensas ao povo, quem são as pessoas para dizer que isso é coisa errada de pregador?

Sou a favor de uma busca por justiça financeira, de valorização do individuo, do membro da igreja, da casa dele, das suas finanças, e contra alguns erros que já tenho notado na doutrina, mas não invalido a doutrina de todo. Sinceramente, penso que falam mal demais de quem ensina o povo a ser prospero. É para ensinar o que? Que é para ser pobre, miseravel?

Não vejo mal em ser rico, vejo mal no EGOISMO. Lembro-me que Bill Gates fez mais obras de caridade do que qualquer pessoa que eu conheça. O acumulo financeiro não necessariamente atrapalha a sociedade, pode ser a sobra que falta para investir em pessoas necessitadas com eficiência.

É de minha experiencia, que mesmo querendo se dar ajuda suficiente para resolver todos os problemas de alguém, o pobre não consegue, ainda que esvazie sua carteira. O rico, porém, tem poder para transformar o mundo.

Acho ainda que, na questão do "ser interesseiro", acusando os membros de irem só buscar bençãos e a igreja de oferecer bençãos ao invés de pregar Jesus é uma acusação muito injusta. Igrejas famosas por pedirem dinheiro são tb as que estão pregando na nação (e estão pregando mais, de outros assuntos, do que outras que pouco pedem). Além disso, é INJUSTO buscar os seus interesses?
Não. É injusto não buscar os dos outros, mas para ajudar os outros, precisamos tb saciar os nossos interesses.

Imagino se aplicassem tal raciocinio a todas as outras areas. "não peçam cura, isso é interesse. Vocês vão ficar buscando cura ao invés de Jesus?" (já ouvi isso, infelizmente), "não peçam bençãos espirituais, vocês querem dons ou querem ser cristãos mesmo?" (já ouvi algo do tipo também, infelizmente).

É praticamente uma pregação contra a pregação. Só querem ouvir de JESUS, não querem DEIXAR que hajam curas, DEIXAR que haja prosperidade, DEIXAR que busquem dons? Ao invés de forçarem a humildade nos outros, deveriam ser eles mesmos. Não é errado querer coisas boas. Praticamente brigam com as pessoas por irem pedir cura, estando doentes a anos, ou aos desempregados, por irem orar pedindo emprego. Que mal há nisso?

Acho que quem ensina tais coisas deveria anunciar sua teologia. Não a "Teologia da Prosperidade", e sim a teologia da MISÉRIA.
Eles que façam a defesa deles.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Criação e Big Bang - Sim, contradizem-se

O meu ultimo artigo foi basicamente, semelhante a este, mas tratando da evolução.

A teoria criacionista bíblica tem sido misturada com teorias apateistas (desprezadoras de Deus), e o resultado não tem sido bom.
No ultimo artigo busquei demonstrar de forma limpa e simples que a biblia contradiz a evolução.

Neste, busco fazer o mesmo com a teoria do Big Bang.

Criação com Big Bang - Haja luz, não trevas!

Quem lê a biblia, tendo ouvido a teoria do Big Bang, que basicamente (em termos um tanto leigos) ensina que houve uma espécie de explosão que gerou o universo, baseando em dados que indicam que o universo está em expansão, acaba tentando conciliar as duas teorias.

A teoria do Big Bang é uma teoria de que o universo foi construído com forças (aparentemente não dirigidas por agente inteligente, mas você pode crer em Deus se quiser) geradas desse big bang. E que basicamente, as galaxias, a terra, tudo, foram geradas a partir daí.

Então as pessoas leem Gênesis ingenuamente (já crentes na teoria independente) e pensam "bom, Deus não criou a luz primeiro, antes do sol? Então, tá certinho, a biblia está certa! Foi +ou- isso então"

Ai é que eu vou pegar: NÃO está certo.
A primeira crença já está errada: Deus não criou primeiro a luz, mas criou uma terra sem forma e vazia, cheia de água.

DEPOIS Deus criou a luz, e foi primeiro dia.

Assim o sendo, portanto, contradiz totalmente uma idéia dos cientistas que não poderiam conceber que se começasse o mundo com água, sem luz. Isso contradiz a idéia da formação da terra apartir do sol, como uma bola de fogo quente, que resfria.

Mais que isso, o Sol, a lua e as estrelas só foram criados no quarto dia.

Isso é importante: há quem pense que o sol, a lua e as estrelas já existiam, e que as "aguas" do céu tampavam. Tais "aguas", supostamente seriam densas o bastante para que na terra só entrasse a luz. Ai essas "aguas" teriam saído no diluvio.

MAS QUE?

Primeiro que ai como iria ficar visível o Sol, a Lua e as Estrelas no quarto dia, sendo que não houve ainda dilúvio?
Segundo, que mesmo ignorando o fato de que está escrito que foi CRIADO (e sim, já pesquisei sobre os termos originais, lendo num livro, e o termo parece ser de criar mesmo, não de fazer aparecer, fora que, se Deus não os tivesse criado ali, deveria ter dito quando os criou),

Mas o ponto chave aqui é o inicio. Se de fato já existisse o sol, antes que fosse formada a divisão das aguas superiores e inferiores, a terra estaria 100% exposta ao sol. Não faria sentido Deus dizer "HAJA LUZ" se o Sol estivesse já ali.

Portanto, a teoria do Big Bang contradiz a da criação bíblica. A criação bíblica não afirma que a terra é o centro do universo, mas que o sol e a lua e as estrelas foram criados depois dela, pondo-a portanto como parte principal incialmente.

Sei que isso pode parecer absurdo para muitos, mas é necessário rever:
é uma criação MIRACULOSA, uma que DEUS viabiliza. A do big bang é baseada em hipóteses de forças que iriam "gerando" o universo. A criação bíblica coloca uma terra com agua antes da luz E dos astros citados. Portanto, contradizem-se;

TEORIA DO BIG BANG: Explosão, Estrela, planeta como bola de fogo, lua
Criação: Terra com água, luz, etc, e depois o Sol, a lua e as demais estrelas.

- - -

Encerro dizendo que não estou discutindo aqui de Gênesis ser uma alegoria, nem da teoria da recriação, e ainda me desviando de algumas questões, que em breve tratarei. Tb não estou provando, sei, no mundo real. Mas como disse no artigo anterior, para quem REALMENTE crê na bíblia isso já é muito relevante.

Cito e repito: Planeta antes da luz, e antes dos astros. Contradiz a teoria.

Criação e Evolução - Teorias concorrentes

Em artigo anterior, deixei disponível meu primeiro livro acerca do assunto criação e evolução.
No mesmo, mais tratei de mostrar que há diversas crenças surgindo ligadas ao criacionismo, e que nós temos de tratar desses assuntos com muito mais seriedade do que temos feito.

O artigo é este:

http://cientistadedeus.blogspot.com.br/2012/04/novo-livro-introducao-ao-criacionismo.html


Agora, porém, sigo para a parte de analisar as posições.
Buscarei, numa série de artigos que pretendo fazer (que talvez mais tarde possam ser vistos em slides ou livros, etc), mostrar a contradição biblica de alguns pensamentos, tidos como alternativas razoaveis a interpretação bíblica.

Começo com o que pode ser a questão principal:

Criação e Evolução - O Criação pode ter ocorrido com evolução?

Em uma palavra? Não. Ao menos o criacionismo BIBLICO


A razão principal é bem simples:
A teoria evolucionista é baseada em forças não dirigidas, e por consequência precisa que os seres surjam com um aumento continuo de complexidade (falando vagamente).

Já a teoria criacionista BIBLICA, dependente de uma intervenção de Deus.
E não pense que não, que "Deus poderia ter feito com a evolução", porque isso contradiz a narração de Genesis 1.

Mesmo que se achasse que os 7 dias da criação não são literais, ainda assim, a ordem da criação biblica entraria em contradição com linha do tempo evolucionista.

A criação biblica é TEMATICA e GEOGRAFICA, independente de complexidade.

A "criação" evolucionista é do simples para o complexo.

A criação biblica tem a vida começando na TERRA, com as plantas. Todas, aparentemente.
A criação evolucionista começa na AGUA.


Finalmente, o ponto chave:

A criação evolucionista precisa que os seres vão da água, para a terra, e depois para o ar.
É essa a expectativa evolucionista, por uma razão simples: complexidade. As estruturas precisariam ser feitas aos poucos.

A criação biblica porém é diferente, NO MESMO DIA são criados os animais MARINHOS e VOADORES (no quinto dia), e somente no seguinte são criados os terrestres.

Ou seja, a biblia mostra uma criação dos seres voadores independente da existência dos animais terrestres (lembrando que já havia terra para pousar, inclusive com arvores), junto com os aquáticos.

Abstenho-me de esclarecer no momento a cerca, por exemplo, da criação do homem e da mulher, defender que não é uma alegoria, ou defender que não há base biblica para criação de vários seres ou para crer que a terra foi "recriada" em Gênesis. Neste trecho, busquei somente mostrar que a teoria evolucionista contradiz a doutrina cristã.
 - - -

Encerrando portanto, este artigo, explico que nesta fase não estou provando a teoria criacionista biblica, apenas mostrando que a teoria da evolução simplesmente contradiz fortemente a teoria criacionista.

Estou indo por passos, aqui. Ainda haverá uma fase de confrontamento de idéias com argumentos Pró e contra, mas, para os crentes na bíblia, apenas esta informação já é o bastante para crer, e muito relevante.



quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Mais respostas a criticas bíblicas...

Novamente, respondi uma lista de criticas bíblicas. Há perguntas repetidas. Pretendo em breve ajustar isso, organizando as criticas tematicamente para ajudar no estudo das mesmas.

De qualquer forma, segue-se: 10 perguntas e 10 respostas

Omitirei o autor das perguntas.

10 Contradições básicas da bíblia?

1 - Os Gigantes existiam antes da inundação (Gênesis 6:4)
Somente Noé, sua família, e os animais da Arca sobreviveram a inundação (Gênesis 7:23)
Mesmo depois da Inundação os gigantes continuaram existindo (Números 13:33)

2 - Toda a terra tinha uma só língua e as mesmas palavras, até que Deus criou vários idiomas diferentes, fazendo com que ninguém entendesse um ao outro (Gênesis 11:1,6-9)
Anterior a isto, a Bíblia fala de diversas nações, cada um com sua própria língua (Gênesis 10:5)

3 - Deus admitiu que Ele é a causa da surdez e da cegueira (Êxodo 4:11)
Contudo, Deus não aflige os homens por vontade própria (Lamentações 3:33)

4 - Deus mata todos os animais dos egípcios com uma forte pestilência. Nenhum sobreviveu ? pestilência (Êxodo 9:3-6)
Depois Deus mata todos os animais dos egípcios com uma chuva de granizo (Êxodo 9:19-21,25). (Mas eles já não haviam morrido com a pestilência?)

5- Deus jamais se arrepende (I Samuel 15:29)
Deus se arrepende (Gênese 6:6) (Êxodo 32:14) (I Samuel 15:11,35) (Jonas 3:10)

6 - Deus não pode mentir (Números 23:19)
Deus deliberadamente enviou um “espírito” mentiroso (I Reis 22:20-30) (II Crônicas 18:19-22

7-Ninguém jamais viu a Deus (João 1:18, 6:46) (I João 4:12)
Jacob viu Deus cara a cara (Gênesis 32:30)
Moisés e os anciões de Israel viram Deus (Êxodo 24:9-11).
Deus falou com Moisés cara a cara (Êxodo 33:11) (Deuteronômio 34:10)
Ezequiel viu Deus em uma visão (Ezequiel 1:27-28)

8 - Deus confiou o julgamento a Jesus (João 5:22) (João 5:27,30 8:26) (II Coríntios 5:10) (Atos 10:42)
Jesus, porém, disse que não julga ninguém (João 8:15,12:47)
Os santos hão de julgar o mundo (I Coríntios 6:2

9 - A transfiguração de Jesus ocorreu 6 dias após a sua profecia (Mateus 17:1-2) 
A transfiguração ocorreu 8 dias após (Lucas 9:28-29

10 - Josué destruiu totalmente os habitantes de Dabir (Josué 10:38-39)
Os habitantes de Dabir ainda existem (Josué 15:15)

RESPOSTAS (minhas)

Para não passar batido, vou responder umas que já sei a resposta, pois já vi antes. Muitas tem que se ler os trechos com calma. Não sou um infabilista biblico, porém, e mesmo assim não creio que é uma completa fraude mesmo que hajam contradições.

Primeiro principio aqui: não confunda o que DEUS falou com o que FALARAM de Deus, ok?

Vamos lá:

1 - Caso não saiba, gigantes ainda existem. Volta e meia gente altissima aparece em programas como fantastico. Além disso em Gn 6 4 tem teólogos que creem que gigante era no sentido de gente rica ou poderosa. O contexto até indica um pouco isso.
A despeito disso, repare que o uso do termo não precisa ser exato, a própria fala "eramos como gafanhotos" soa bem inexata. Os espias estavam com medo dos caras.

Um gigante de destaque na biblia, por exemplo, Golias, tinha, estima-se, só 2 e 90 de comprimento. É bem alto, mas convenhamos que se ele era o gigante, o de destaque naquele povo, você não deveria estar procurando por gigantes muito grandes, mas homens muito mais altos que o normal.

2 - Quem fez essa não leu direito a passagem. A passagem fala das genealogias dos filhos de Noé. Fala ANTES e DEPOIS de Babel. É uma narração em profundidade, não uma narração linear. Portanto,  Repare que é bem pouco anterior a narração de babel que é citada das linguas, mas no meio de uma genealogia, ou seja, já narrando bem a frente do que se virá logo depois, falando do outro filho. Só ler o contexto ao invés de só ler acusações por atacado...

3 - Chequei CINCO traduções de lamentações e todas disseram que Ele não aflige de bom grado, ou seja, que ele não gosta de afligir. A fala "vontade própria" na sua tradução tb pode encaixar, como dizendo "não é pq ele gosta que ele aflige". E cheque o versiculo anterior, No ANTERIOR está dizendo que Ele entristece. Biblicamente há um numero enorme de passagens que dizem que Deus pode até causar o sofrimento, e outras (ou as mesmas, como no caso) indicando que Ele não gosta de fazer isso.


32 Pois, ainda que entristeça a alguém, usará de compaixão, segundo a grandeza das suas misericórdias.
 32 Pois, ainda que entristeça a alguém, usará de compaixão segundo a grandeza das suas misericórdias.
 32 Embora ele traga tristeza, mostrará compaixão, tão grande é o seu amor infalível.
 32 pois, ainda que entristeça a alguém, usará de compaixão segundo a grandeza das suas misericórdias; 
 32 Ele pode fazer a gente sofrer, mas também tem compaixão porque o seu amor é imenso.
33 Porque não aflige nem entristece de bom grado aos filhos dos homens.
 33 Porque não aflige nem entristece de bom grado os filhos dos homens.
 33 Porque não é do seu agrado trazer aflição e tristeza aos filhos dos homens,
 33 porque não aflige, nem entristece de bom grado os filhos dos homens. 
 33 Não é com prazer que ele nos causa sofrimento ou dor.
4 - Não sabemos ao certo a distancia temporal entre os eventos porém, nem o rigor cientifico do termo "todos os rebanhos". Mesmo que todos tenham morrido, eles poderiam ter comprado mais, por exemplo. 

5 - Quem diz que ele não se arrepende não é Deus aqui. Como falei, opinião é opinião. Samuel não falava com uma linguagem de rigor matematico, deve-se lembrar.

6 - Há uma distancia, convenhamos... Mas ainda assim, você pega as palavras de uma pessoa como base, não as de Deus. As pessoas erram. Inclusive o que fala é um profeta corrompido, no contexto.

7 - Em certo sentido, ninguém viu mesmo, porque é um ser invisivel, que se REPRESENTA de formas viziveis. E o ver de João se refere a um ver o que ele realmente é. O próprio João havia visto o Messias, que disse "quem vê a mim vê ao Pai". Mas ver uma representação externa é muito diferente de ver o espírito, e muito mais de compreendê-lo.
Se o próprio João que viu Jesus preferiu dizer que ninguém viu a Deus, o conceito dele de ver é, naturalmente, diferente de ver somente uma aparência externa.
Veja João 14:9. Se joão que diz escrever este testemunho, Ele mesmo tinha em um sentido visto Deus, mesmo que ainda estivesse insatisfeito quanto ao ver não só a aparencia externa, mas o SER divino, e bem sabia de que havia visto Deus. O seu evangelho é o que mais trata Jesus como o próprio Deus.

Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai? 
João 14:9


8 - João 8 15 e 16.
15 Vós julgais segundo a carne, eu a ninguém julgo.

16 Se eu julgo, o meu juízo é verdadeiro, porque não sou eu só, porém eu e aquele que me enviou.

O próprio Jesus fala que estão julgando erradamente, e que Ele não julga, mas se julga em algum sentido (portanto havendo 2 sentidos de julgar, um julgamento como só acusar, e outro de justiça verdadeira) não julga sozinho, julga por Deus, portanto se fazendo inocente porque o juizo vem de Deus, e não dele.

Ou seja, se lesse UM VERSICULO A MAIS teria o contexto que mostra a duplicidade de conceitos de julgar e a diferença do julgamento de Jesus. Se comparar outras traduções poderá ver com mais clareza ainda:
16 E, se, na verdade, julgo, o meu juízo é verdadeiro, porque não sou eu só, mas eu e o Pai, que me enviou.
16 Mesmo que eu julgue, as minhas decisões são verdadeiras, porque não estou sozinho. Eu estou com o Pai, que me enviou.


NA MESMA CONVERSA Ele explica a diferença.

9 - Que tradução você ou o site onde você pegou as criticas usa? Tenho 5 traduções, todas dizendo que o que diz "8 dias" diz "aproximadamente 8, ou uma semana".

28 E aconteceu que, quase oito dias depois destas palavras, tomou consigo a Pedro, a João e a Tiago, e subiu ao monte a orar.
 28 E aconteceu que, quase oito dias depois dessas palavras, tomou consigo a Pedro, a João e a Tiago e subiu ao monte a orar.
 28 Aproximadamente oito dias depois de dizer essas coisas, Jesus tomou consigo a Pedro, João e Tiago e subiu a um monte para orar.
 28 Cerca de oito dias depois de proferidas estas palavras, tomando consigo a Pedro, João e Tiago, subiu ao monte com o propósito de orar.
 28 Mais ou menos uma semana depois de ter dito essas coisas, Jesus levou Pedro, João e Tiago e subiu o monte para orar.
Mesmo ainda que HOUVESSE erro, isso não provaria uma fraude, somente que a biblia não é infalivel.

10 - Eu tb matei todas as aranhas do meu quarto.... Varias vezes. Na casa tb.

Repare que no cap 13 Josué já está velho. Eles começam a organizar o possuir a terra,


Depende do teólogo, e da preguiça de ir ver com calma, aparentemente também...

Criticar é uma coisa, provar ai exige muito trabalho. Ateus meio que vencem por atacado, Parece uma porção de perguntas. Por isso resolvi tratar com calma as que já sabia. Estou acumulando uma coleção de respostas, e pondo no meu blog inclusive.

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

+ Criticas ao cristianismo, bíblia e Deus rebatidas

No link: Criticas ao cristianismo, bíblia e Deus

Neste outro link mais antigo, fiz uma explicação mais profunda acerca da que pode ser a principal critica a existência de Deus, o problema do mal, mostrando que Ele é um Deus que domina sobre o bem e o mal, com vídeo inclusive:
Em resposta a criticas ao Deus bíblico
Seguirei dando continuidade ao assunto.

Combinei no meu ultimo artigo que estaria confrontando criticas ao cristianismo, bíblia e Deus. 
Diferentes, porém, são as 3 coisas.

Criticar o cristianismo pode ser uma critica ao movimento. Pode também se referir a criticas a cristãos especificos. Porém, o comportamento errado de cristãos ou do movimento cristão em si não prova que a bíblia esteja errada, ou que Deus não exista.

Bíblia: a principal critica bíblica é afirmando haverem contradições. Já disse e repito que não sou infalibilista (isto é, não creio que a bíblia é infalivel), mas buscarei mesmo assim mostrar que boa parte das criticas bíblicas são infundadas.

Frequentemente misturam a critica a moralidade bíblica com a de Deus, e ambas, são postas como argumento de que Deus não existe. Porém, como já falei no artigo e em vídeo de resposta a criticas ao Deus bíblico, Deus fazer o mal não o impede de existir, só contradiz uma definição muito precisa do que seria Deus, colocando que se alguém é bom, então não pode fazer o mal. Como citado, isso faria com que diversos criadores de mundos como de filmes, jogos e livros fossem classificados como maus, o que não é 100% justo, tão pouco.

Recentemente estava respondendo algumas perguntas no Yahoo respostas (como é meu costume), e inclusive respondi a algumas perguntas criticando a bíblia. Se verá que grande parte delas, porém, é de ordem moral, criticando muito mais a posição polemica de Deus e da bíblia do que indicando que Deus não exista ou a bíblia não tenha inspiração divina.

Alguns trechos são particularmente polêmicos, e tratarei deles posteriormente.
Porém, agora me empenho em trazer a resposta a mais algumas perguntas:

- - -

RESPOSTAS a criticas bíblicas (parte 2):
PERGUNTAS


1. Deus ordenou que seus anjos destruíssem duas cidades, Sodoma e Gomorra (Gen.19 - 1) matando todos os seus habitantes e transformando uma mulher em estátua de sal. Como um ser superior pode ser tão cruel e matar tanta gente?

2. Se Jesus poderia ressuscitar tantas vezes quanto fossem necessárias, que importância teria uma morte sua?

3. Na Irlanda católicos e protestantes guerreiam até a morte. Os homens-bomba se explodem em nome de uma guerra santa. Pastores pedem (e conseguem) que os fiéis se suicidem. Na Bósnia, na África e no Oriente Médio se matam pessoas em nome de Deus. Onde está a paz que as religiões e o próprio Deus prometeram?

4. Se, pela Bíblia, só existiam na época, Adão, Eva e Caim, pois Abel fora morto, de onde surgiu a mulher que se casou com Caim?(Gên.4 – 17).

RESPOSTAS

1
- Hitler não existe então. O fato de Deus agir com violência e fazer o mal não interfere na sua existência. o Deus bíblico é um ditador justiceiro dominador de tudo, faz o que quiser. Eram tempos antigos também, acredita-se que o nível de violência na época era outro. Não devemos ignorar que posteriormente, foi Deus, através do Messias, que nos incentivou a amar os inimigos.
Apesar da situação polemica que merece um tratamento mais profundo, veja que um Deus que age com violência não contradiz o Deus bíblico, nem o possível criador do mundo real, que fez os animais, que guerreiam entre si, por exemplo.
O DEUS QUE CRIA E DOMINA SOBRE O MAL, QUE PUNE E QUE PERMITE O MAL É O DEUS BÍBLICO. ASSIM COMO HITLER E CRIADORES DE MUNDO VIRTUAL QUE CRIAM MONSTROS PODEM EXISTIR, A EXISTÊNCIA DE DEUS NÃO É NECESSÁRIAMENTE COMPROVADA COMO FALSA PELA AÇÃO POLEMICA

2 - É mesmo, que importancia? Que importancia tem? Nenhuma, logo Deus não existe... Afinal, você não entende a importancia, então Deus não existe...
O sacrificio de Jesus é um simbolo de expiação de raiva: se o JUSTO sofre pelos pecadores, os acusadores deveriam deixa-los em paz. Não importa o poder.
A ressurreição de Jesus é uma prova de que Deus tem dominio da morte e pode recompensar os justos. É um forte simbolo.
Jesus ser crucificado sendo justo é ensino de Deus de como é para as pessoas serem: ao invés de ficar reclamando que há injustiça só, LUTAREM contra ela. Jesus, justo, sofreu injustiça, mas o seu ato foi de proteção dos pecadores.
A PERGUNTA FAZ JUZ A IGNORANCIA DE QUEM A FAZ: “QUE IMPORTANCIA TEM?”, NÃO “NÃO TEM IMPORTANCIA”. MULTIDÕES DE CRISTÃOS CREEM QUE TEM IMPORTANCIA, É QUESTÃO DE CONHECER A DOUTRINA CRISTÃ PARA SABER DE QUAL É.
3 - Isso prova que Deus não existe, não é? Afinal, se religiosos brigam em reino DIVIDO ai nós sabemos que Deus não existe? Há uma distancia entre Deus e o comportamento dos seus chamados adeptos. Se ler a bíblia vai ver que Deus sempre brigou com o seu povo por não obedecerem-no. Entre chamar Deus de Senhor e de fato ser um bom pacificador há grande distancia. ISSO É UMA CRITICA AOS QUE SE DIZEM ADPETOS DO CRISTIANISMO, NÃO UMA EFICIENTE CRITICA A DOUTRINA CRISTÃ.

4 - Quem disse que só existia esses? A bíblia não fala sobre as mulheres praticamente, elas mal são citadas nas genealogias. Adão e Eva tiveram varios filhos segundo a própria biblia, mas só Caim e Sete tem genealogias citadas. Ele casou com uma parente.
A AUSENCIA DE UMA INFORMAÇÃO NA BÍBLIA NÃO PROVA QUE NÃO EXISTE INFORMAÇÕES PARA SE ADQUIRIR. ELA NÃO INFORMA TUDO SOBRE TUDO, NEM TEM ESSE COMPROMISSO.
ASSIM O SENDO, ASSUMIR QUE POR NÃO ESTAR CITADO COM QUEM CAIM CASOU IMPLICA QUE NÃO HAVIA NINGUÉM É ASSUMIR MUITO MAIS QUE A NÃO INFABILIDADE, UMA FRAUDE BÍBLICA OU GRANDE SEGREDO, MAS UM ERRO ESTUPIDO E INFANTIL DA PARTE DOS AUTORES.

Sobre o caso da esposa de Caim ainda, isto entrará numa lista de criticas a Gênesis.
Já venho preparando uma série de argumentos  sobre a criação e suas diferentes teorias que hoje há, além de respostas a outras criticas.





Católica - A unica verdadeira Igreja?

Já fiz um artigo com um estudo consideravelmente completo de Mariologia, estudo de Maria.
Busquei mostrar que ela até pecou e que a própria bíblia indica que ela teve relações com José, depois de terem tido Jesus.

Você pode ler este artigo através deste link: Estudo de Maria

Mas deixando Maria de lado por um momento, gostaria de falar de um argumento católico, que impõe a confiança somente nela, e desmerece os protestantes em suas criticas, tratando-os como meros hereges, desobedientes, ignorando a possibilidade da posição da igreja maior estar errada e que o "protesto" protestante seja algo consequentemente justo e necessário, para a melhoria do cristianismo.

Hoje não vou falar da polemica crença da infabilidade Papal, mas sim deste ponto:

A Igreja Católica, como igreja primeira, é a unica verdadeira, a unica certa, e quem não estiver nela está em desobediência a Cristo?

Há quem diga que por ser a maior, ou a "primeira", a igreja católica deve ser obedecida.

Primeiro já quero ressaltar que "primeira" igreja não é.

Antes de termos uma igreja católica apostólica romana a igreja, que não tinha esse nome, já existia, sendo edificada pelos discipulos de Jesus.
Já no tempo das cartas a igreja dividida já tinha problemas de em quem confiavam (por isso Paulo reclamou de que falavam: somos de Paulo ou de Apolos?). Paulo disse que a prova iria testar os ensinos deles, mesmo sendo um dos escritores do que é hoje a bíblia sagrada, não se pôs como ifalivel, antes os lembrou que Cristo é que é a unica autoridade a qual eles deveriam dizer "sou deste", evitando divisões escolares.

1Co 1.12,13
12 Com isso quero dizer que algum de vocês afirma: “Eu sou de Paulo”; ou “Eu sou de Apolo”; ou “Eu sou de Pedro; ou ainda “Eu sou de Cristo”.
13 Acaso Cristo está dividido? Foi Paulo crucificado em favor de vocês? Foram vocês batizados em nome de Paulo?
- - -
Apesar dessa intenção de manter o povo unido, as divisões e disputas ocorreram. No inicio do cristianismo houve disputas doutrinarias quanto o pregar para os gentios e o uso da circuncisão. Os debates se fazem as vezes necessários.

- -
Eram 7 igrejas citadas nas cartas do apocalipse. Foram tratadas com o nome de IGREJAS em separado, apesar de terem o vinculo de Cristo. Apesar de todas serem igrejas, diversas foram ameaçadas de ruína caso não se convertessem. Cada igreja foi tratada de maneira independente baseando-se nas suas obras e na doutrina que seguia, não em quem a evangelizou, ou qual era o seu pregador atual, mas sim a obediência a Cristo.

Ora, enquanto uma era ameaçada, a outra era elogiada NÃO SEGUINDO A DOUTRINA DA OUTRA IGREJA. A falta de total concordancia das igrejas primitivas em erros poupou diversas delas de fortes criticas. Foram convidadas a perseverar no bom caminho que seguiam de forma independente das igrejas que estavam defeituosas.

Se a igreja protestante e as igrejas primitivas, porém, seguindo apenas o líder da igreja, e se submetendo a todas as suas ordens, obedecessem as regras de uma igreja errada (e não adianta dizer que isso não existe se está nas cartas!) então seriam contados com a unica igreja de uma vã doutrina.

Reparem novamente: Cristo não reclamou de haverem diferentes pensamentos de igrejas, diferentes doutrinas e obras desde o inicio, reclamou dos ERROS em cada igreja, independentemente de serem sua igreja ou não.

- -

Há quem diga que a igreja católica merece respeito porque é a "primeira", não uma "seita".

Devo dizer em primeiro lugar que tal argumento é por si só uma falacia. Ou seja, um argumento enganoso.
A primeira pessoa a falar não é necessariamente a certa, a primeira a pregar não é necessariamente a que prega melhor. Se a igreja católica está certa só por ser "a igreja mãe, original", então porque a própria igreja católica pede perdão pelas obras do passado?

Que teria sido melhor, na época dos pecados da igreja: obedecê-la fielmente ou discordar dela, para obedecer a Cristo?

Nos coloquemos novamente no lugar de membros das igrejas primitivas. As cartas diziam que haviam alguns fiéis em uma igreja, por exemplo. Eles foram tratados com diferencial dos outros.

Ap 3.3
 Lembre-se, portanto, do que você recebeu e ouviu; obedeça e arrependa-se. Mas se você não estiver atento, virei como um ladrão e você não saberá a que hora virei contra você.

Ap 3.4 
“No entanto, você tem aí em Sardes uns poucos que não contaminaram as suas vestes. Eles andarão comigo, vestidos de branco, pois são dignos.

Reparem no tratamento individual, pelas praticas justas, não no titulo de "sou da igreja" ou não.

- - -

Ainda, os católicos insistem que por serem a primeira, as outras são seitas, e heresias.

Um ABSURDO contraditório com a bíblia, porém.

A religião dos judeus era a "original, verdadeira, tradicional" antes de Cristo. Os que se apegaram a tradição, porém, ignorando as palavras de Jesus, se perderam dele, não o acompanharam vindo ao cristianismo, antes ficaram tratando o cristianismo como uma seita.

Se o cristianismo é por si uma seita do judaísmo, como se justificar neste argumento sendo católico?
Há de se dizer "não, mais ai o cristianismo era que estava certo". Pois bem, neste caso, os católicos devem fazer o mesmo, ao invés de dizer "é a católica, não uma seita" e tratar protestantes como hereges como os judeus trataram, devem provar que a DOUTRINA deles está certa.

Bíblicamente porém, dizer-se que é católico e por isso está no caminho certo em oposição aos protestantes é semelhante a um judeu que não aceita o messias dizer "sou filho de abraão, não como os gentios cristãos", é se engrandecer num título.

- -
Deus HUMILHOU os que se seguravam nos titulos de judeus e filhos de abraão. Em apocalipse se fala deles como "que se dizem judeus, mas não são". Jesus quando discutia com injustos dizia: Se FOSSEM FILHOS DE ABRAÃO não agiriam assim. "sois filhos do diabo", disse ele, por causa da mentira, não ligando para o fato de se dizerem crentes na RELIGIÃO ORIGINAL TRADICIONAL, ou em serem FILHOS DE ABRAÃO, DA SANTA NAÇÃO DE DEUS DE ISRAEL.

Tais títulos pouco importaram-lhe. Em que nós, gentios, devemos nos gloriar, se nem na carne temos glória, então? Porque se nem somos da descendencia carnal de Abraão, em que vamos nos gloriar senão no espírito como de Abraão, espírito de justiça?

- -

Por fim, mas longe de estar dando o meu pior argumento, diante da fala contraditória com a bíblia de que é obrigação seguir a "igreja principal" para ser crente, porque a "principal é que segue a cristo, porque são os discipulos de Jesus..." ou algo do tipo, desmerecendo os que não seguem, vide a passagem bíblica, falas de Jesus:

Mc 9.38 “Mestre”, disse João, “vimos um homem expulsando demônios em teu nome e procuramos impedi-lo, porque ele não era um dos nossos.”
Mc 9. 39 “Não o impeçam”, disse Jesus. “Ninguém que faça um milagre em meu nome, pode falar mal de mim logo em seguida,

Mc 9.
40 pois quem não é contra nós está a nosso favor.

Se Jesus repreendeu os discipulos por estarem exigindo que seguissem eles, e isso na época QUE CRISTO ESTAVA COM ELES EM CORPO FÍSICO, então porque os católicos repreendem a igreja protestante por não segui-los dizendo-se que só eles são a igreja verdadeira?
Jesus não impôs sobre os que o seguiam o estarem seguindo os discípulos de Cristo. Não é justo um católico, que se diz de Cristo, agora reprimi-los por não se submeter a ela. Nem sequer sabemos de divergencias teológicas nessa história, e Cristo permitiu que o homem seguisse sozinho! Quanto mais nessa hora, onde há divergencias?

Lembrando que Jesus não reprimiu as 7 igrejas por terem diferentes obras e doutrinas, reprendeu-as nos seus respectivos ERROS.

O argumento da autoridade não prova que a igreja católica está certa ou deve ser seguida. Estejam disto cientes, e julguem doutrina por doutrina.